domingo, 21 de abril de 2013

Sombra



Desculpa por querer pensar em mim. (Desculpa? DESCULPA PELO QUÊ? Por pensar em você, após quebrar a cara tentando ser legal com todo mundo? - grita meu inconsciente mais consciente do que eu!). E eu peço aflita e gritantemente com um som sem voz, um silêncio ensurdecedor, para que todos ouçam e percebam como me sinto - mas ninguém percebe, apenas fazem perguntas (tolas ainda por cima!). Estou na beira do "abismo" e a "morte" está me chamando, ela que parece ser tão doce - apenas ela me percebe; ali parada, sentada na escada, num cantinho, abraçando os joelhos. A minha dose dela eu quero que seja rápida, numa tacada e golada só! E meu inconsciente me diz: "Vai! Liberta-te! Não era isso mesmo que tu queria? Pois então! Vai! É só um passo a mais...". Mas eu permaneço. Ali. Intacta. Sem ar (quase). E logo ela vem e senta-se ao meu lado e espera. Espera que eu diga algo, que eu me mova, que eu a olhe nos olhos. Espera até que eu grite! Mas eu não faço nada, apenas permaneço. E é tão ilusório essa coisa de 'morte'. E ela tenta me cativar com todo o seu suor e ardor. Mas é tão fácil me ganhar. Apenas me faça rir e depois pergunte sobre meus problemas e me faça rir novamente, só pra não parecer que é uma conversa muito séria. E então eu contarei tudo que há e lhe direi à quê eu vim. E depois que eu desabafar, permaneça você também. E Calados ficamos. É isso que eu peço - além das desculpas. Digo então à Morte Simbólica de foice na mão que ela pode ir e que agora eu sei que não é minha hora. E então vem A Outra, minha Sombra querida, me consolar novamente quando o dia chega; ela está sempre comigo nos dias claros, pois sabemos que até mesmo Ela me abandona no escuro. Peço desculpas à Ela também, por exigir que fique comigo em momentos que Ela simplesmente não pode! Desculpem-me todos. Perdoem-me! Perdoem-me por não andar na linha, estar tão fora do tom, do eixo, sem som. (Muda). Não sei mais o que fazer nem o que escrever, escrevo besteiras já, por isso só sei desculpar-me... Então, tchau.

Boa madrugada; são 02h.

0 comentários: