domingo, 21 de setembro de 2014

Shuffle


O texto é curto, mas a intenção é boa - dizem as boas (ou más?) línguas que o que vale é a intenção, então... Um clique e vem aquela que você até quer ouvir, mas não assim de cara, pois te entrega. É como se a primeira música da sessão aleatória fosse uma mensagem interna por que você tapa os olhos e ouvidos para que ela não seja capitada. Mas não adianta, seus esforços são todos poucos e você já ouviu o início da música e sabe o que ela diz. Diz o que você sente e esconde, o que deseja e não pode ter de bandeja. Sofrer represália do superego por ouvir uma música assim é comum, muito mais do que imagina, meu caro leitor. Penso ser o shuffle uma das maiores vinganças do id. Aquilo que tu tanto queres vem em melodias alucinógenas e letras arrebatantes. O volume está alto e a única coisa que se pode fazer no momento é fechar os olhos, recostar a cabeça, relaxar o corpo e sentir as batidas intensas que te faz sentir arrepios veementes na espinha. A música acaba e você é tentado a repetir. É o que você faz, repete, repete, repete. Você pensa em todas as possibilidades que a letra lhe proporciona e consegue imaginar cada detalhe - seja lá o que for. Tu fica ali parado sentido cada batida mais forte passar por todo teu sistema intrínseco, tu se arrepia. É possível sentir a pulsão cada vez mais forte do teu coração. As batidas se misturam; corpo e alma. Lentamente você é tragado para dentro dos teus instintos. Logo, temerário e consumado tudo está, e satisfeito fica. Massagem da alma é esta música que toca. Você sabe à quem ela é direcionada, mas não pode fazê-lo - sim, tu até pode, mas faça se for capaz!, capaz de sustentar o peso que carrega a letra que teu inconsciente luta pra dissimular e revestir de falsa aparência. Mas quando existe uma canção assim não se pode evitar por muito tempo. E ter a sorte (ou azar?) de encontrá-la é uma dádiva (ou tragédia?), "porque há essa música que encontrei que me faz pensar em você de alguma forma e eu a coloco para repetir até eu dormir".

1 comentários:

Anônimo disse...

Perfeito... muito eu! S2